Mãe. Inquieta. Lésbica. Foda-se. ▶ #Herstorytelling

PAI EMPREENDE PERSEGUIÇÃO À FILHA ATRAVÉS DE DIVERSOS PAÍSES – MOTIVO: ELA É LÉSBICA

Um pai egípcio recusou-se a aceitar que sua filha ame outra mulher. Ele chegou a preparar uma armadilha para capturar e castigar o casal. Além disso perseguiu-as durante a fuga das duas por diversos países e fronteiras após falhar a armadilha preparada. A fuga tornou-se uma Odisséia. 

Sua filha ama uma mulher: esse ideia era para  um pai egípcio inaceitável. Ele empreendeu uma perseguição à sua filha, a egípcia Shaza Ismail, e sua namorada espanhola, Maria Jimena Rico Motero, ao longo de diversas fronteiras internacionais. Apenas na madrugada de domingo a fuga do casal, que nesse meio tempo foi dado como desaparecido na Turquia, teve um fim. 

Fotos mostram Jimena em seu desembarque no aeroporto de Málaga (Espanha), onde ela foi recebida por sua Irmã. Jimena nasceu na Argentina, mas, segundo informarções da imprensa, possui passaporte espanhol. Sua família mora no norte do País, enquanto Jimena há algum tempo mora em Londres, bem como sua namorada/companheira Ismail. 

Segundo informarções da imprensa, ao que se sabe, o pai de Ismail mão suportava/aceitava o romance do casal e atraiu as duas a Dubai, onde Homosexualidade/Lesbianidade é crime punido com vários anos de prisão. Ele simulou que a mãe de Ismail estaria fatalmente doente de forma a atraí-la. Quando após a chegada a Dubai as duas mulheres descobriram a armadilha, elas rapidamente tentaram fugir para Londres tomando um voo através da Georgia. 

DADAS COMO DESAPARECIDAS NA TURQUIA

Sobre o que aconteceu exatamente a parir daí existem diversas versões. Aparentemente o pai de Ismail seguiu as duas até Georgia, as emboscou no aeroporto e se apoderou e destruiu os passaportes de Ismail e Jimena. Segundo informarções da imprensa, após esse fato, as duas mulheres tomaram um ônibus até a fronteira com a Turquia, país vizinho à Georgia, tentando, com isso, chegar ao consulado espanhol. 

Apos várias tentativas sem sucesso, elas conseguiram chegar à Turquia, porém após a chegada, Jimena e sua família na Espanha perderam o contato entre si por vários dias. A família de Jimena registrou-a como desaparecida perante as autoridades espanholas. 

Na quinta, as duas mulheres foram localizadas num centro para deportação em Istambul, capital da Turquia e puderam retornar para casa. 

Fonte: Spiegel Online

30.04.2017″

Agradeço a tradução livre da Erika Hoffmann e deixo aqui o meu pedido: PAREM DE PERSEGUIR LÉSBICAS. Eu trabalho com internet e meu trabalho com a página Uma mãe lésbica está censurada por perseguição política. Na ditadura houve uma operação policial para perseguir lésbicas. Nós já somos perseguidas e mortas desde sempre. Pensem nisso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

HTML básico é permitido. Seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine este feed de comentários via RSS

%d blogueiros gostam disto: