Mãe. Inquieta. Lésbica. Foda-se. ▶ #Herstorytelling

Linha do tempo do Zé Mayer na Globo #ProjetoHisteria

Autora: Keila Costa

Presença de Anitta – a garota que foi abusada na infância e depois virou uma “ninfeta safada” de 18 anos que seduz e destrói a vida um pai de família (interpretado por José Mayer);

Laços de Família – esse mesmo ator interpreta Pedro, que se envolve com várias mulheres, fazendo todas se odiarem. Uma delas é uma menor de idade, interpretada por Debora Secco, com quem ele tem relacionamentos sexuais agressivos como forma de “corretivo”. Na mesma novela mãe e filha disputam o mesmo homem;

Avenida Brasil – o empresário Cadinho se envolve com três mulheres lindas, ricas e poderosas, que abrem mão do conforto e, sobretudo, da dignidade para viver com ele na pobreza mesmo depois de se descobrirem enganadas;

Ligações Perigosas – o personagem Augusto, vivido por Selton Mello, entra no quarto de Cecília, estupra a personagem, que depois se apaixona por ele; 

Verdades Secretas –  o milionário empresário Alex se apaixona pela personagem Angel (???), de 16 anos, com quem vive um tórrido romance, a ponto de se casar com a mãe dela para ficar perto da moça. A trama termina com o suicídio de uma mulher e com outra se tornando homicida;

Império – O charmoso e sedutor Comendador, vivido por Alexandre Nero, casado com Marta, mantém uma mulher mais jovem que sua filha como amante. O galante morre no final, deixando as duas com nítido sentimento de viuvez;

Da cor do pecado – O título da novela faz referência à cor de sua protagonista, Taís Araújo, cujos “dotes” de sedução são associados à sua negritude;

BBB – participante Laercio confessa embebedar adolescentes para fazer sexo com elas e, em sua saída, Pedro Bial diz “venha para fora com suas Anittas e Lolitas”;

Escolinha do professor Raimundo – a personagem Marina da Glória sempre responde errado às perguntas, porém com sua voz sexy e seu “jeito insinuante”, acaba tirando 10;

Angélica e Xuxa – as duas apresentadoras eram, ainda menores de idade, hipersexualizadas em programas para crianças, a ponto do jornal o Estado de São Paulo dizer que Xuxa povoava os mais secretos pensamentos infantis. O mesmo jornal anunciou que a TV manchete agora poderia fazer frente à audiência de Xuxa, pois havia contratado a estonteante ninfeta Angelica, à época com 13 anos;

Globeleza – globeleza;

somando-se a esses exemplos as incontáveis passadas de mão, beijos roubados, assédio moral e sexual em ambiente de trabalho que depois viram romance, etc, etc.

Quando a Rede Globo diz, em nota, que “repudia qualquer forma de desrespeito, violência ou preconceito” É UM DEBOCHE! 

A REDE GLOBO SEMPRE HIPERSEXUALIZOU NOSSOS CORPOS, RIDICULARIZOU E DESPREZOU DE NOSSAS POTENCIALIDADES, ROMANTIZOU ABUSOS, VIOLÊNCIAS E HUMILHAÇÕES CONTRA TODAS AS MULHERES, RICAS E POBRES, E MAIS VIOLENTAMENTE AINDA CONTRA MULHERES NEGRAS E ATUOU FORTEMENTE NA NATURALIZAÇÃO DA CULTURA DO ESTUPRO, DA PEDOFILIA E DA EXPLORAÇÃO SEXUAL. 

NÓS NÃO VAMOS CAIR NESSA.

— 

Eu sou #ProjetoHisteria e mixo narrativas contra a cultura do estupro. 

Anúncios

2 Respostas para “Linha do tempo do Zé Mayer na Globo #ProjetoHisteria”

  1. Maria de Lourdes

    ok,mas o que dizer dessas atrizes que aceitaram a participar dessas novelas,miniséries,seja o que for? O que dizer das mulheres que por vontade própria,estão lá rebolando nuas numa escola de samba? Por que não se pode falar nada??
    A gente reclama dos homens,mas nós reforçamos o sistema.
    Eu não defendo mulher que aceita ser puta de macho.Quer ser objeto,arque com as consequências.Farta desta patifaria.

    Curtir

    Responder
    • Natacha Orestes a.k.a #ProjetoHisteria [Content Creator & Herstoryteller]

      Maria, você acha que as mulheres “aceitam” assim, do nada, num vácuo? Você sabia que a maioria das mulheres prostituídas foram estupradas pelos próprios pais na infância e fugiram de casa porque preferem ser estupradas (e pagas por isso) na rua do que continuar sendo estuprada pelo próprio pai? Nós vivemos em um planeta que inferioriza as mulheres intelectualmente, num país em que somos educadas para servirmos. Não podemos culpar as vítimas pela opressão. São os homens que forçam as mulheres, pela falta de opção, a serem sexualmente exploradas. Nenhuma mulher “quer ser objeto”, nós somos ensinadas que este é o nosso lugar. Seu discurso se assemelha aquele discurso de “apanha porque gosta, mulher de bandido”, sabe? Não ajuda em nada.

      Curtir

      Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

HTML básico é permitido. Seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine este feed de comentários via RSS

%d blogueiros gostam disto: