Natacha, que texto lindo. A melhor parte foi, com toda certeza, sobre o que é colar velcro. Não tive a oportunidade de vivenciar algo assim porque o meu processo de entendimento sexual é devagar e bastante delicado, feridas latentes ainda doem e a relação com o corpo, seja ele masculino ou feminino, ainda me causa medo. Então estou reaprendendo a ver o corpo não como uma arma para me violentar, mas também para me dar amor, e, quem sabe, curar feridas da infância. Eu agradeço pelo teu conteúdo, porque ele encoraja as sobreviventes de abuso a não desistirem de reconhecer que o culpado é o patriarcado, e nunca nós. E também evidencia o amor entre duas vaginas. ❤

Curtir