Mãe. Inquieta. Lésbica. Foda-se. ▶ #Herstorytelling

Profissionais psi do Brasil e falta de ética

Tô sabendo que tem profissional de psi mandando menina vítima de abuso sexual infantil virar terapeuta do pedófilo agressor, aconselhando-a a praticar a escuta com o autor do crime pra saber de suas razões.

Ninguém tá nem aí pras vítimas de pedofilia, quem deveria ajudar as crianças está comprada para o lado do agressor.

Mas eu tô aqui lutando é pra tentar mudar este quadro. Estou sabendo legal que uma galera da psicanálise está jogando no time da bancada evangélica, com a qual a Inverno, após tentativas frustradas de ser reconhecida como liderança feminista no Brasil, resolveu firmar parceria depois da maternidade. Estou sabendo legal que o que esses profissionais psi estão promovendo é cura lésbica. A própria Inverno em uma imagem se mostrou ex-bi e em outra ex-lésbica sendo que a Inverno nunca foi lésbica, foi, no máximo, bissexual.

Eu me pergunto: esses profissionais de psi que vem defender pedófilos e a própria pedofilia, não seriam esses mesmos psis que querem curar a sexualidade das mulheres que só se relacionam com mulheres?

Tá na hora da gente começar a denunciar esses profissionais em massa. Tá na hora da gente se unir contra o abuso infantil. É uma pauta internacional. As meninas de todo o mundo estão quebrando o silêncio. O Brasil não pode ficar de fora disso.

Nós precisamos ouvir nossas meninas.

Anúncios

3 Respostas para “Profissionais psi do Brasil e falta de ética”

  1. narawoods

    Eu já vi colegas de sala dizendo “mas gente não podemos incentivar o divorcio (se referia em casos que o marido bate na esposa) pq o que Deus une o homem não pode separar, casamento divino…” eu quase pulei na garganta dela.
    A professora da Aula de Ética também quase delogou a cretelha. Mas cara uma pessoa dessa não sei se muda, acho um perigo essa galera crentelha contra aborto, homofóbica, machista… Essa galera só matando pq tá foda

    Curtir

    Responder
  2. Sonia Goodfish

    Profissional? Tô até agora me perguntando que tipo de ‘profissional’ são. Tenho agorafobia e síndrome de pânico, tratando um tumor no útero por 5 anos, em casa. Por 120 dias tive hemorragia. Precisei de uma ecografia e após muitas dificuldades consegui um profissional que tinha um aparelho portátil para fazer o exame, em casa. Agora, sofrendo um processo penal por uma tia, que quer a todo custo que eu retire o útero, tive várias visitas de psicólogas e assistentes sociais que vieram fazer relatórios sobre minha situação. Sabe o que uma delas (chefia de um posto de saúde) disse em um relatório? Que esse tipo de aparelho NÃO existe. Aí fica a pergunta: Que tipo de profissionais são se não se atualizam??? Imagina então o tipo de ‘consultoria’ que dão…

    Curtir

    Responder
  3. sweetnessandalonghair

    A psicologia é uma mentira! Tenho descoberto, aos poucos, que devo desconsiderar muito do que aprendi durante a graduação de psico. Eu já achei sim que pedofilia é uma doença, e me arrependo disso. Já quis trocar ideia com agressores de crianças e “explorar a mente deles”, pra ver o que os motivava. Já cheguei a pensar que era um impulso incontrolável o que eles tinham, e que de certa forma trazia sofrimento pra eles.
    Que merda, né?
    Depois de me abrir pro feminismo, de “dissecar” muitas informações, relações, foi que eu comecei a pensar no quanto eu estava errada, ou no quanto fui condicionada a pensar dessa forma. Hoje consigo pensar de forma mais racional, mais verdadeira, mais próxima à realidade minha e das minhas irmãs, mas ainda me pego em muitos pensamentos prontos, pré-construídos, aqueles que vêm de graça.
    Pra mim, enquanto psicóloga, é muito louco pensar em desconstrução de diagnóstico, por exemplo. Pensar que desde os primórdios da psico quem ditava as regras, estudos, pesquisas eram todos homens. Durante a faculdade quase não estudei mulheres. Freud, quem tanto “amei” e respeitei as ideias, é só mais um cara, um cara tão importante pra minha profissão, e construiu todas suas ideias a partir de um viés feio e machista. As patologias que estudei, todas agora sendo questionadas. Observar, entender, refletir, conhecer o mundo a partir de uma perspectiva feminista é lindo e cruel ao mesmo tempo. Bom, falei demais. E fui bem sincera aqui, por isso tenho receio de que eu seja interpretada de uma forma ruim, tô com medo das feministas virtuais, algumas não usam nem um golinho de amor.
    Natacha, você é maravilhosa, tô amando te ler. Obrigada por existir.

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

HTML básico é permitido. Seu endereço de e-mail não será publicado.

Assine este feed de comentários via RSS

%d blogueiros gostam disto: