Na verdade, e não tirando nada do mérito, a Ada Lovelave foi a primeira programadora. Ela era matemática e ensaísta, correspondia-se com diversos intelectuais da época, incluindo Charles Babbage, que havia proposto um mecanismo, de sua própria invenção, chamado de Máquina Análitica.

Ada escreveu programas que essa máquina poderia ‘rodar’, e especulou muito além do que o próprio Babbage houvera imaginado, muitos usos além de cálculos números e análises matemáticas.

Dito isto, o computador atual deve mais à Turing (um homem gay, que foi quimicamente castrado e humilhado pelo governo da Inglaterra por circunstâncias da sua própria sexualidade) que à Ada e Babbage – o que ainda é o máximo, considerando que a área de tecnologia é infestada não apenas de misóginos, mas homofóbicos.

Ainda assim, programadoras mulheres eram muitas vezes a regra, e não a exceção, como veio a se tornar, em muitos dos primeiros grandes experimentos pioneiros na área. Para o bem e para o mal. Grace Hopper, que inventou vários conceitos, ajudou, com outra moça que esqueci o nome, a executar os cálculos necessários para finalizar partes essenciais das bombas de Hiroshima e Nagasaki. E sem mulheres programadoras, a humanidade jamais teria chegado à Lua – pelo menos na época em que chegou.

Muitos saludos às mulheres da área. =)

Curtir